Primavera dos Dentes

[Sobre amor, liberdade e outras coisas –principalmente as vermelhas] 07:00 – Amarelo Acordou atrasado. Expulso da cama pelo fedor insuportável, prendeu a respiração enquanto arrumava-se apressado – não gostava de se olhar no espelho e hoje tinha uma desculpa perfeita. Jogou água no cabelo, um punhado de gel, duas passadas de mão e estava pronto, … Continue lendo

Mãos

Bêbado, soluçando, cambaleia pela rua deserta ainda encarando a pedra que ocupa o lugar que foi da garrafa no embrulho de jornais. Ingrata! E pensei que iríamos nos casar! Tentou mais uma vez, e outra, não adiantava, a aliança não sairia. Tremendo de ódio levantou a pedra e com três golpes executou a solução que … Continue lendo