O Surrealista Insone

Minicontos sem sentido que não cabem em seu lugar

Aonde o Surrealista Insone vai buscar sua matéria prima?

O Surrealista Insone abre as janelas do escritório e pensa, espreme idéias, agita pensamentos até que eles comecem a sair, tal ectoplasma dos antigos médiuns, em seguida o Surrealista Insone passa a noite trabalhando com delicado instrumento de precisão (que podia ser diamante, mas rebelde, não quis) dando forma à matéria-prima disforme. A placa na porta do escritório do Surrealista Insone diz: Ourives.

Outro dia o Surrealista Insone conseguiu moldar alguma coisa muito feia que encontrou em meio ao ectoplasma, cheio de alegria, despido e ridículo gritava e corria. Eureka, Eureka, a pedra filosofal eu encontrei, de ourives quero que me chamem Alquimista. De volta a realidade, o Surrealista Insone percebeu que era sorte, e nem toda porcaria poderia ser transformada em peça de valor.

O Surrealista Insone fez a barba, dos fios, de cores variadas, bordou uma peruca tal qual cocar. O Surrealista insone queria era calar sua testa, que nas festas o ofuscava.

Anúncios
Comments
One Response to “O Surrealista Insone”
  1. Isabel Furini disse:

    Obrigada pelo comentário sobre Borges no Digestivo Cultural. Decidi dar olhar seu blog e gostei desse “surrealista insone”. Reflete a busca e a angústia do escritor. Muito bom esse final!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: