Entre morros e depressões

Achou graça da minha hesitação. Eu sempre tão seguro, sólido, sereno, muralha de ceticismo ascetico.

Que terá pensado da minha entrega tão pessoal, mundana, humana? Ainda não sabia que meu gaguejar era a infiltração de você em mim. Anunciada no olhar. Que o beijo revelou. Que nos levou o caminho de volta. Caminho do hesitar e suas tantas paradas.

Onde prometemos não realizar.

Deixar rolar.

Mas pontos de partida aos quais podemos voltar só existem no espaço. Onde finalmente (e infelizmente) cumprimos nosso caminho geográfico e iniciamos outro percurso – acidentado como nossa Pato Branco – a cidade que amamos e que será palco do nosso afeto.

Anúncios
Comments
One Response to “Entre morros e depressões”
  1. Letícia disse:

    Eu gosto de acidentes, sendo eles geográficos ou não.
    Tipo encontrar por acidente.
    (:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: